Toxina botulínica pode ser utilizada no tratamento do estrabismo

11/04/2018
Toxina botulínica pode ser utilizada no tratamento do estrabismo

O objetivo do tratamento do estrabismo é melhorar o alinhamento ocular, permitindo que os olhos trabalhem juntos e em sintonia para que a pessoa consiga a visão binocular. O tratamento pode ser através de óculos, exercícios oculares, óculos especiais com prisma, cirurgia dos músculos extraoculares ou mesmo injeção de toxina botulínica no músculo.

A toxina botulínica, comercialmente conhecida como Botox, já é usada na oftalmologia há bastante tempo. Seu uso mais conhecido, no entanto, é na dermatologia, para a redução das linhas de expressão e rugas.

 

O que faz e como age a toxina botulínica?

Ela bloqueia a acetilcolina, o neurotransmissor responsável por levar os sinais elétricos para os músculos, assim o músculo não recebe a mensagem e não contrai mais.

O Botox é uma boa alternativa no tratamento para alguns casos de estrabismo. Trata-se de uma opção menos invasiva que a cirurgia, que é o método de tratamento convencional.

De aplicação segura e tempo de recuperação mais rápido, o Botox em alguns casos específicos pode ser usado para a correção definitiva de estrabismo em crianças e em adultos com estrabismo paralítico. Isso acontece porque embora o medicamento funcione por um tempo determinado (geralmente de 3 a 6 meses), o relaxamento muscular que ele provoca permite o alinhamento espontâneo dos olhos. Muitas vezes, no entanto, é necessária mais de uma aplicação.

 

Como é feito o tratamento do estrabismo com a toxina botulínica?

O oftalmologista especialista em estrabismo aplica a toxina diretamente no músculo extraocular que está contraturado e provocando o desvio do olho. Dessa forma, ele leva ao relaxamento do músculo que está funcionando demais e os olhos se alinham. Feito com anestesia local ou geral, é um método seguro e de tempo de recuperação mais rápido do que a cirurgia.

É importante ressaltar que o Botox é recomendado para casos específicos de estrabismo, já que os efeitos deste tratamento, são limitados e muitas vezes diferentes da cirurgia, que é o método mais utilizado.

 

Pode-se usar toxina botulínica nos casos de estrabismo que apresentam:

- desvios de pequenos ângulos;

- desvios secundários;

- paralisias agudas de nervos que agem na musculatura ocular;

- hipo e hiper correções pós-cirúrgicas;

- estrabismos pós-cirurgia

- para auxiliar na cirurgia de estrabismos de grandes ângulos.

 

cirurgia ainda é o método mais indicado para a correção da maioria dos estrabismos, e por este motivo, é importante consultar um oftalmologista especialista em estrabismo para que ele indique o melhor tratamento.

 

Além do estrabismo, o Botox também é utilizado na Oftalmologia para o tratamento de outros problemas como blefaroespasmo, distonias faciais e espasmos hemifaciais.

 

fonte: http://portaldavisaocuritiba.com.br