Miopia cresce entre as crianças devido ao uso excessivo de smartphones.

09/05/2018
Miopia cresce entre as crianças devido ao uso excessivo de smartphones.

Além de aumentar o risco de depressão, ansiedade e estresse, a dependência do celular também aumenta os casos de miopia, principalmente entre crianças.

 

Quantas vezes você chega o seu celular? Pesquisas mostram que a maioria das pessoas dá, em média, 150 olhadinhas por dia. Ou seja, mais de seis vezes por hora! Como usar o celular sem se desconectar da saúde?

 

A dependência do celular aumenta o risco de depressão, ansiedade e estresse. Também aumenta os casos de miopia. Segundo o psiquiatra Daniel Spritzer, estudos americanos mostram que jovens que usam muito as redes sociais perdem a capacidade de comunicação cara-a-cara porque ficam pouco treinados para isso.

 

Os especialistas fazem um alerta aos pais que deixam as crianças brincarem com o celular. Os aparelhos substituem a interação pessoal e isso atrapalha o desenvolvimento da linguagem porque menos áreas cerebrais serão desenvolvidas. A partir dos 12, 13 anos, o adolescente pode ter seu próprio aparelho, mas a vigilância deve ser constante até os 21 anos, quando o cérebro está totalmente formado e o jovem tem a capacidade do autocontrole.

 

Fique atento aos sinais de dependência. O principal sinal é o prejuízo, seja no âmbito escolar, do trabalho, da saúde, dos relacionamentos e até do sono. Fique atento outros pontos: quando mexer no aparelho passa a ser prioridade, quando alguém reclama que você fica muito tempo conectado, irritabilidade quando o acesso está restrito. Além da dependência, o uso exagerado do celular pode trazer consequências físicas. A coluna pode ficar torta, os olhos secos, você pode sentir dores nas articulações, pode ter o distúrbio do sono e traumas auditivos.

 

A dependência deve ser diagnosticada e é tratada como um problema de saúde mental. A terapia é o principal tratamento. Medicamentos são usados quando existe outra doença em paralelo, como a depressão ou ansiedade, por exemplo.

 

Fonte: Bem Estar | G1.com