Longevidade e Visão

06/10/2018
Longevidade e Visão

As estimativas para o ano 2025 são de que o Brasil terá a sexta maior concentração de idosos do mundo – acima de 32 milhões, quase 13% da população – e a prevalência de doenças oculares aumenta com a idade. Não temos como fugir das alterações fisiológicas, mas o idoso de hoje é mais ativo e tem um nível de exigência bem maior: está no computador, dirige, viaja. Qualidade de visão significa qualidade de vida. Além da catarata, o glaucoma, a retinopatia diabética e a degeneração macular são as doenças mais frequentes entre os mais velhos. Sem tratamento, podem ter graves consequências, levando também ao isolamento social e à depressão.

Sobre a Catarata

É uma doença reversível pela cirurgia. Consiste na remoção da catarata e substitui por uma lente intra ocular. As lentes intraoculares podem ser mais simples, corrigindo um foco, ou até multifocais, para pacientes submetidos à cirurgia de catarata que desejam ter maior independência dos óculos para todas as distâncias: perto, longe e distância intermediária.

Sobre o Glaucoma

O mais dramático é o seu caráter silencioso, sem provocar sintomas em quase 75% dos casos. O glaucoma não dói, não arde, o olho não fica vermelho, mas o nervo ótico é atingido, e os danos são irreversíveis. A detecção precoce por profissionais experientes é a melhor prevenção de danos permanentes. Além de outros exames necessários ao devido acompanhamento, o registro da doença é feito por fotografia estereoscópica do nervo óptico. Exames de tomografia por coerência óptica são capazes de detectar alterações nas camadas de fibras nervosas provocadas pelo glaucoma mais precocemente.

Sobre a Retinopatia Diabética

Estimativas no Brasil mostram que 7,6% da população urbana entre 30 e 69 anos apresentam Diabetes Mellitus. A única forma de evitar a retinopatia diabética, que provoca hemorragias no olho, é o controle da glicemia, da pressão arterial e de outros fatores de risco sob supervisão médica. O tratamento pode ser feito a laser ou cirurgia, mas existem medicamentos capazes de adiar a necessidade desses procedimentos, que são os antiangiogênicos e polímeros intraoculares.

Sobre a Degeneração Macular

É a principal causa de cegueira em idosos nos países desenvolvidos e a terceira maior causa no mundo. É mais comum na faixa etária acima dos 60 anos. A degeneração macular atinge o centro da visão e distorce a imagem que se forma, afetando imediatamente a leitura. O diagnóstico precoce é o maior desafio . Cada vez mais tem avançado nos recursos para diagnóstico precoce da doença, o que é de extrema importância para o tratamento.

 

Por: Dr. Sydney França

Matéria publicada na Revista Saúde João Pessoa

Fonte: http://rsaude.com.br/joao-pessoa